51 anos!!!

Charge do Jaguar - mestre e ídolo-mor publicada no jornal Última Hora - há 51 anos, quando acontecia o famigerado GOLPE Militar.

 

01

Tem uma página no Facebook chamada Página do Benett. Ela não foi feita por mim, não sou eu quem a edito e não sei quais desenhos serão postados lá. Também não vejo as mensagens enviadas e, sendo assim, não tenho como responde-las. Se quiser falar comigo, please, use esse endereço: anedonia@uol.com.br

***

Terence Blanchard tenta provar que Deus existe. E com essa música, ele quase consegue: https://www.youtube.com/watch?v=nyj79ZUaHmc

Uma ilustra para um texto do escritor Luis Henrique Pellanda - o título era Jogo da Forca

Só para constar: o espaço da letra abaixo da forca formam realmente o sobrenome de um escritor famoso. É sempre citado por aqui. Adivinha?

01


O maior de todos: MILLÔR



Escrito por Benett às 10h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Mercy, mercy, mercy

Que tal vocês pararem um pouco a vida de vocês e ouvirem isso aqui? Mercy, Mercy, Mercy de Cannonbal Aderley >>> https://www.youtube.com/watch?v=s4rXEKtC8iY

01

02

03

Gostou de Cannonball Adderley? Se eu tiver um cachorro ele vai se chamar Cannonball Adderley. Eu gostaria de me chamar Cannonball Adderley. Não consigo parar de pronunciar esse nome Cannonball Adderley. É como Bix Beiderbecke, impossível não ficar repetindo esses nomes. Pena que nome de cartunistas seja sempre curtinho como Glauco, Angeli, Henfil, Laerte. Podiam ser nomes maiores. Como Cannonball Adderley. Sei lá.

O nome dele é uma das coisas mais legais de sua música. Comece por este >>> https://www.youtube.com/watch?v=v3Lc7OgIngE

04

05

 



Escrito por Benett às 11h11
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Universo Particular em Desencanto

01

Ei, quanto tempo, ahn? Sim, estou vivo, por aqui, curtindo esse momento sombrio do País. Vocês também foram às ruas bater panelas? Eu? Ah, eu não. Primeiro que não vou a manifestações de nenhuma natureza. Segundo porque, convenhamos, eu jamais iria num evento organizado por nacionalistas patriotas que adoram afirmar que são "europeus". Sim, estou falando de Curitiba, essa bela cidade que adoraria viver sob uma ditadura militar. Não tão sabendo? É verdade, a Paraná Pesquisas esteve no dia 15 de março perguntando para o pessoal que segurava cartazes do Olavo de Carvalho e eles disseram que topam uma ditadura militar. Daquelas bem brabas, com um general com cara amarrada que manda prender quem não disser bom dia para seu cachorrinho. Que povo de "bem" esse que tem ojeriza da Venezuela de Hugo Chávez mas sente saudades do Garrastazu Médici? Acho que o brasileiro sempre gostou de um ditadorzinho. Vejam as seleções de futebol, adoram técnicos que parecem sargentões, tipo Dunga e Felipão. O Lobão falou uma coisa... diz que prefere o PMDB ao PT. Nesse caso, a impressão que dá é que tudo bem um coroné / grileiro / corrupto / escravagista / ladrão de gado / homofóbico /desmatador... desde que não seja comunista. COMUNISTA!

Ei, ei, ei. Não precisa me acusar de ser petista ou comunista. Não, meu chapa, to fora. Seo que isso não significa que eu não seja crítico ao governo: olha só, compilei uma série de charges sobre a Dilma

AQUI: http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/salmonelas/todas-as-charges-da-presidente/

Essas charges explicam um pouco porque não tenho feito tiras novas. Estou empenhado nesses desenhos sobre política. As tiras volta em abril. Espero que junto com meu humor.



Escrito por Benett às 10h15
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Como Ficar Sozinho

01

Como Ficar Sozinho é o título de um livro de Jonathan Franzen que sempre retomo a leitura mas nunca consigo me entusiasmar de verdade. Quando o hype de um escritor desaparece é que vemos realmente se ele é relevante ou não. Franzen ainda não me pegou pelos colarinhos e, no entanto, ainda insisto. Talvez eu devesse ler Zona de Desconforto ou Correções. Começar por um livro de ensaios não é também muito justo com o autor.

O mesmo vale para seu xará Jonathan Safran-Foer. Mas a culpa, claro, não é dos caras. Eles têm que contar com a sorte e uma série de coincidências ocasionais para "pegar" o seu leitor. No momento não posso ser pego porque talvez eu esteja procurando um novo Norman Mailer - que, convenhamos, também não é lá essa coisa toda como romancista - ou um novo Salinger. O mérito de Franzen, e Safran-Foer, é que eles não jogam sujo para que você não largue o livro depois do primeiro parágrafo. Ao contrário de J. K. Rawling e Dan Brown.

Mas por que citar esses dois autores??? Comecei dois livros deles - é, eu tenho esse problema, de querer entender porque certos livros viram sucesso de vendas - e os dois me deram náuses. Em ambos os livros, acontece uma morte misteriosa antes da segunda página. Não são seus mais famosos livros e talvez por isso eles precisassem desesperadamente não perder leitores, mas é um golpe muito manjado.

Só então me fiz a pergunta: por que estou perdendo tempo com esses autores? Então comprei dois livros que me parecem mais promissores - mas igualmente pop e best-selleres:

01 - Parafusos - Autobiografia de Ellen Forney, uma cartunista bipolar

e 02 Hyperbole and a half, de uma garota engraçada chamada Allie Brosch. O de cima me parece mais promissor.


Better Call Saul cita Irmãos Marx duas vezes em seis episódios. To gostando.

02




Escrito por Benett às 11h03
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Thank you for funking up my life

Enfim, um tempinho para atualizar essa... essa... essa ESPELUNCA

01

02

Velho Dançando Pelado

03



Escrito por Benett às 01h18
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Hello, Bright Sunflower

Eu, tentando ser Gervasio Troche > desenho para um texto do Luis Henrique Pellanda

01


Há quase 1 ano é aqui que as coisas quase acontecem

Vamos ouvir juntos Donald Byrd? >>> http://grooveshark.com/#!/donald_byrd

 



Escrito por Benett às 18h11
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Think Twice

Essa é minha tentativa de desenhar a Simone de Beauvoir ( jovem )

DONALD BYRD - Ouçam e e vida começará a fazer algum sentido >>> https://www.youtube.com/watch?v=UrpLqMF75Zw

***

Não tenho mais FB. Saí há dois meses - no entanto devo voltar algum dia para divulgar o novo livro do Amok. Mas tem uma fanpage minha lá, editada por um amigo de Palmas, a cidade mais fria do Brasil. Ele tem tiras que nem mesmo eu guardei. Algumas vezes ele publica essas tiras antigas e me surpreendo com o humor que eu tinha. Talvez ainda tenha guardado em algum lugar, bem lá no fundo.

Sentindo-me velho, gordo, deprimente e meio acabado.

outra tira

outra

e mais outra





Escrito por Benett às 20h17
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Oh, lady be good - Memories of you

Desenho para um texto do Luís Fernando Veríssimo falando sobre sadomasoquismo, por conta do filme 50 Tons de Cinza

MEMORIAL ALBUM

Por favor, ouçam Clifford Brown. A essência do universo está aqui >>> https://www.youtube.com/watch?v=LMR_Ord0N5E

01

 

TOP 10 Trompestistas

01 - Satchmo

02 - Miles Davis

03 - Clifford Brown

04 - Lee Morgan

05 - Dizzy Gillespie

06 - Chet Baker

07 - Maynard Ferguson > https://www.youtube.com/watch?v=9SYDO3YE2AI

08 - Donald Byrd > https://www.youtube.com/watch?v=UrpLqMF75Zw

+

CLIFFORD BROWN >>> https://www.youtube.com/watch?v=9iuP3CfFZDQ

Versão alternativa para uma charge que saiu na Folha

A original foi pbulicada assim



 



Escrito por Benett às 13h08
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Born to blue

Para ouvir pela manhã, descalço, pisando no orvalho > https://www.youtube.com/watch?v=3y11EHQAGhU

01

02

03

04



Escrito por Benett às 07h37
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


But not for me

Acho que é minha tira favorita. No meu momento favorito.

Uma caricatura que uma garota fez de mim em algum lugar em algum momento que não lembro mais

CHET > https://www.youtube.com/watch?v=zdDhinO58ss



Escrito por Benett às 23h31
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Let get Lost

01

O que um dia era para ser uma série de TV

NewBLOG

Vida em Quadrinhos

Por

Alberto Benett e Fabio Silvestre

***

 

Série de humor em que o jovem protagonista de vinte e poucos

anos, sensível mas cínico o suficiente para não ser rotulado

maldosamente de “afetado”, enfrenta bravamente as

adversidades da vida com as melhores armas que possui: seu

humor – capaz de reverter cenários desoladores em algo

próximo ao mentalmente suportável – e suas tiras em

quadrinhos.

Nosso rapaz tem dois amigos, uma dupla de corvos agourentos

de caráter duvidoso, que se apresenta a ele em forma de

bonecos, como na genial criação de Jim Henson. Com esses

dois amigos, o rapaz foge da solidão e compartilha suas

impressões sobre o mundo, suas experiências particulares,

bem como alegrias e frustrações de sua complexa vida

amorosa, familiar e profissional.

LOCUÇÃO EM OFF. UMA NARRAÇÃO DE TIM BURTON

O mundo é tão grande que as vezes a melhor forma de entende-lo é diminuí-lo. Coloca-lo dentro de um quadro, de um quadrinho ou vários quadrinhos. É assim que muita gente vê o mundo. Através de quadros, telas, janelas, buracos, lentes ou mesmo quadrinhos. A vida em quadrinhos parece mais fácil de ser entendida, mais simples, desde que não seja num roteiro do Alan Moore ou do Tarantino. Pra conhecer a humanidade, não precisamos saber o nome dos 7 bilhões, mas talvez de um só, o nosso herói na falta de outro melhor. Vamos conhecer Alan Burguer. Não, ele não é uma lanchonete, apenas um homem comum com um nome gorduroso. Ah, ele é um cartunista.

EXT. CALÇADA DE UM BAIRRO PRÓXIMO AO CENTRO, SEM MUITO MOVIMENTO. UM RAPAZ E UM GAROTO CAMINHAM COM SUAS DEVIDAS PASTAS FORRADAS DE DESENHOS E ILUSÕES DEBAIXO DOS BRAÇOS.

GAROTO

E dá para viver somente de desenho?

ALAN

Claro que dá. Bem, você só precisa abrir mão de algumas coisas supérfluas da vida como… comer, vestir e de vez em quando passar suas roupas.

GAROTO

Puxa, meu sonho é ser desenhista de histórias em quadrinhos.

ALAN

Quer um conselho? Por que você não vai fazer advocacia? É a onda do momento.

GAROTO

Eu ainda tenho dignidade no coração.Não adianta, eu quero publicar quadrinhos nos jornais.

ALAN

Pela sua idade você nem deveria saber que existem jornais. Bem, talvez os jornais acabem antes que você possa dizer “eles só publicam a verdade”. Quer dizer, não é fácil. Essa é uma profissão de bravos, fortes, selvagens… Ser desenhista significa passar noites em claro, ter olheiras, dor nas costas, cansaço extremo, comer comida amanhecida, não ver a luz do dia por meses, viver na solidão, longe de tudo e de todos…

GAROTO

E qual é o lado bom disso?

ALAN

Esse é o lado bom!

GAROTO

Não interessa se eu for passar fome. É o que mais quero!

ALAN

É mesmo? Ok. Então prepare-se porque agora você vai ver um verdadeiro desenhista profissional, experiente e absolutamente respeitado em ação. (eles entram na portaria do jornal)

3.

INT. SALA DE ESPERA DO EDITOR DO JORNAL.

O Garoto está sentado num sofá velho e desconfortável, numa sala de paredes de madeira mofadas, que um dia já foi chique. Ele está aflito com os gritos horripilantes que vêm do interior da sala editor do jornal. Parece que alguém está sendo impiedosamente currado. Ele põe as mãos no ouvindo e começa a fazer sons com a boca para encobrir o barulho do massacre.

INT. SALA DO EDITOR DO JORNAL

O EDITOR está em sua mesa imponente folheando irritado os desenhos do ALAN, que está de costas para nós, praticamente afundado na cadeira. Vez ou outra ele põe as mãos na cabeça, com medo de ser espancado, a cada grito do editor.

EDITOR

Ele está atirando pelos ombros folha por folha os desenhos de ALAN

Ruim…porcaria…péssimo…lixo…deprimente…Você devia assinar esses desenhos como “Parkinson” Ei… hmm… gostei dessa da bola de cristal.

ALAN

Ahn… isto não é uma bola de cristal. É um aquário.

EDITOR

Um aquário?

ALAN

É. É o aquário do Damien Hirst. Por isso o peixe cortado dentro dele.

Vemos um cartum escrito “Casa do Damien Hirst” e o desenho de um peixe cortado dentro de um aquário

EDITOR

Ah… ele é peixeiro?

ALAN

Damien Hirst? Aquele artista que cortava tubarões no meio…

EDITOR

Ah, tá… Garoto, deixe eu te dizer uma coisa: isto aqui não é Discovery Kids. Se eu for até o banheiro e revirar o cesto de lixo, vou encontrar material mais digno de publicação que em toda essa porcaria que você chama de “portfólio”.

ALAN

Mas para entender…

EDITOR

Agora o editor está em pé, com todos os desenhos que sobraram na mão. À sua frente, aquelas caixas de lixo reciclável, onde vemos escrito: vidros – orgânicos – jornalismo ético – outros. Ele joga os desenhos em “outros” Esse é o problema. Faça humor que as pessoas entendam! Que o povão goste. Não adianta piadas com referências, coisas cult que só você e sua turminha de pseudo-intelectuais de cavanhaque vão curtir. Esses geniozinhos de classe-média que pensam que entendem de humor porque são fãs de Sainteld.

ALAN

Seinfeld?

EDITOR

Ele está em pé como que expulsando ALAN do Paraíso

Agora vá para a casa e desenhe algo que seja realmente engraçado. Formigas, desenhe formigas religiosas. Gatos preguiçosos ou crianças que não tomam banho…Nada de heróis ou (afeminadamente) “quadrinhos adultos”. Seja digno dos 20 reais que te pago por desenho!!!

EXT. CALÇADA EM FRENTE AO JORNAL

A cena se desenrola em desenho animado: vemos o rapaz cabisbaixo, com a camiseta do Charlie Brown caminhando arrasado pela rua, com onomatopéias de gargalhadas moldurando sua imagem derrotada. Ao fundo, sons de risos e o coro: “loser, loser, loser”. A cena emula os piores fracassos do dono do Snoopy.

5.

abertura: VIDA EM QUADRINHOS – Episódio: Que puxa, Alan Burguer.

(continua…)

outra ilustra




Escrito por Benett às 08h42
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


That old feeling

Se você tem saudades dessas velhas tiras >>> http://cartunistabenett.wordpress.com

FEBEAPA -

Se eu pudesse cortar minha orelha

Ilustrações para o jornal

01

02

Sessão remember.

01

03

02



Escrito por Benett às 04h26
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Old Devil Moon

01

O velho mais enrugado da história da música não é Iggy Pop. É o Chet Baker.

Chet > Richard Avedon

Let's get lost > https://www.youtube.com/watch?v=sIoquPMcG_E

Tiras velhas

02



Escrito por Benett às 10h52
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Pesadelos de uma noite de vero

Há tempos eu não tinha desses pesadelos assustadores, mas nas duas últimas noites eles voltaram e me deixaram com a pulga atrás da orelha. 


Sonho 01: Eu estava em um lugar que parecia o jardim de uma casa enorme e antiga. No gramado, havia uma cabeça decapitada. O rosto de um homem lembrava uma pintura da renascença, branco, de uns 50 anos, cabelo escasso, no melhor estilo Holofernes. Ao lado uma adolescente vestida de preto, com um capuz, fazia uma espécie de vigília ao seu lado. Eu me aproximei e lembro de ter pensado comigo "por que ela está ali?". Foi quando a cabeça, que estava com os olhos fechados, abriu rapidamente os olhos e começou a falar algumas frases desconexas. Eu me assustei e então a garota levou a cabeça até o corpo, que estava deitado em outra parte do jardim.

Sonho 02: Era noite, ouvi um barulho na cozinha e levantei correndo para ver o que era. Eu estava no apartamento em que morei em 2002, na Comendador Araújo. Não liguei as luzes e dei de cara com uma velha, que havia entrado não sei como. Ela estava perdida e eu não conseguia falar com ela. Percebi que tinha os olhos fechados - apesar de não conseguir ver seu rosto direito- e estava a procura de alguma coisa, andava com os braços estendidos. Não falava e, quando eu enconstava nela, se tornava agressiva. Ela não queria sair, apesar de eu tentar levá-la para fora de casa.

O que significam esses pesadelos? Não tenho a menor ideia, mas desconfio que a garota ao lado da cabeça e a velha na minha cozinha sejam a mesma pessoa: aquela garota sedutora de rosto bem branco que carrega uma foice pra cima e pra baixo. Mas, para ser honesto, acho que essas figuras bizarras apareceram no meu sonho por um outro motivo: de tanto ficar olhando essas pinturas e desenhos renascentistas. Aqueles tempos me parecem assustadores!

01

02

03

 



Escrito por Benett às 15h24
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Murder Machine

Imagem tirada do Twitter do Banksy

Ontem liguei para minha mãe - a primeira vez que falei com ela esse ano - contando uma coisa legal que está acontecendo comigo e ela deu um jeito de mudar rapidamente o rumo da conversa, para falar sobre o velório de uma pessoa que ela não pode ir, e o quanto ela se sentia mal por isso e como a situação toda era triste e tal... Então todo o clima de euforia acabou se tornando o de um velório e então tive que dar uma desculpa e desligar o telefone. Minha mãe sempre lia a Gazeta do Povo e acho que foi isso o que me fez querer ser cartunista e jornalista. Quando comecei a trabalhar na Gazeta do Povo, ela passou a comprar o concorrente, Jornal Estado do Paraná. Não é comico? Só não é mais cômico do que o fato de eu ter batido o carro num poste hoje. Se eu contar isso para minha mãe periga ela perguntar "aconteceu alguma coisa com o poste"?

Da Vinci?


Sempre intrigou-me essa imagem da Santa Ceia - ou a Última Ceia-, mas não pelos mesmos motivos que levaram Dan Brown a escrever O Código Da Vinci. O que me intriga na verdade é... quem é que arrumou a mesa desse jeito nessa sala? Se eles tivessem colocado essa mesa 'de cumprido" teria mais espaço para as pessoas passarem para o outro lado. Parece que eles entraram pelos fundos ou pelas janelas. Ou passaram por debaixo da mesa. Ou já estavam ali antes de colocarem a mesa. Outra coisa... por que eles estão todos sentados de um lado na mesa só? Tem alguma explicação na Bíblia para isso? Porque tem algo ali entre o pintor e a mesa, que não sabemos ao certo o que é, mas eu presumo que seja um televisão ligada em algum jogo de futebol, talvez o clássico Galiléia X Judéia. Outra coisa... no alto, à esquerda da janela principal do templo ( se é que é uma janela e não uma porta) tem uma caixinha branca, que eu presumo que seja o ar-condicionado. O que faz muito sentido, uma vez que as características climáticas daquela região não são lá muito amenas. Dizem que há muito pouco de Da Vinci nessa pintura, uma vez que as camadas e mais camadas de restaurações fizeram praticamente desaparecer o original de Da Vinci. O que lembra daquela senhorinha espanhola que foi restaurar um pintira numa igreja e a transformou em algo grotesco, quase semelhante ào Quasímodo da Disney. Me ocorreu que, daqui há 250 anos, algum maluco resolva restaurar a pintura dela, e acabe por transformá-la em algo primoroso, como o Adão, de Michelangelo. E todos ficariam extremamente indignados.


O que vocês andam lendo por aí?

Eu estou lendo um livro chamado Murder Machine, sobre uma quadrilha de ladrões de carros, tráfico de drogas, pornografia e extorsão que eliminava qualquer um que atrapalhesse seus negócios. Para isso, matavam e desmembravam seus corpos e os jogavam num depósito de lixo. Detalhe: não é ficção. Também estou lendo uma biografia do Leonardo da Vinci e, a cada linha que avanço, fico mais apaixonado pela Mona Lisa. Também estou relendo Bufo & Spallanzani. Ou seja: um livro não tem absolutamente nada a ver com o outro.



Escrito por Benett às 06h52
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Meu perfil
BRASIL, Homem



HISTÓRICO
ARQUIVO
Charges do Benett
(03/2008 a 11/2010)




Votação
Dê uma nota para meu blog

Outros sites
 Amok Comics
 Salmonelas
 Meu TWITTER
 Charges + Links
 Benett-o-matic
 NOVO Charges Benett
 Cadillac Dinossauros
 Benett - MySpace
 Charge-o-matic
 Victor Folquening
 UnsPuns
 BoBo
 Meu Flickr
 Facebook Benett - Fanpage
 James Sadico
 Miguel Nicotina
 Meu Instragram
 Charges da Folha
 Cartunista Benett